Por R$ 1.299, Zenfone 2 apresenta respostas rápidas graças aos 4 GB de RAM

Em 21 ago 2015 - 12:34am por redação

Com um ótimo conjunto de hardware, o Asus Zenfone 2 tem como principal chamariz seu preço. Por R$ 1.299, o usuário pode adquirir um telefone topo de linha (de acordo com a fabricante, para brigar com iPhone 6 e a linha premium S6 da Samsung) que agrada por ser muito rápido, com seus 4 GB de RAM. Aliás, foi o primeiro a trazer esta configuração, quando foi lançado mundialmente em janeiro.

O que se vê é um bom smartphone. A primeira impressão não chama muita atenção: tem o dorso curvo e em aço escovado. A tela, resistente e bem escura, tem 5,5 polegadas e conta com Gorilla Glass 3. Com o telefone ligado, a interface padrão AsusUI assusta quem não está acostumado. A tela é multicolorida e a fabricante, a exemplo do que fez no primeiro Zenfone, resolveu entupir de apps (próprios e de parceiros) o telefone. A maior parte deles desnecessária. Há, por exemplo, assistentes e gerenciadores para quase tudo: áudio, início, backup, anotações, bate-papo, troca de links. É possível perder horas descobrindo o que cada um dos ícones faz (ou apagar tudo rapidamente, sem dó, e depois baixar seus favoritos no Google Play).

Em ação (e limpo), o Zenfone 2 agrada ao usuário que deseja recorrer a atividades multimídia sem demora. Como seu conjunto de hardware é de ponta, assistir a vídeos – seja por streaming ou mesmo alocados no telefone – não apresentam demora. As cores não são das mais vivas (a tela é um tanto escura), mas as imagens se apresentam muito bem definidas (filmes em HD agradam bastante). O sistema áudio também merece elogios – em volume máximo, não apresenta chiados e fica bem definido.

Os 4 GB de RAM do Zenfone 2 garantem ao telefone agilidade quando o assunto é multitarefa. Ao alternar entre apps, por exemplo, ele rapidamente troca a tela e permite ao usuário voltar a assistir a um vídeo ou se divertir com um game. Na prática e nos testes empíricos do dia a dia, ele não se mostrou perceptivelmente mais rápido que outros modelos top com 3 GB de RAM, por exemplo. Entretanto, não deixou a desejar em nenhum momento quando o assunto era variar ações dentro da tela de 5,5 polegadas.

O conjunto de câmeras também agrada. A frontal, que costuma ser a mais fraquinha, conta com 5 Megapixels e é excelente para selfies (ou para espelho, já que há um app no telefone com esse nome. Quando acionado, ele liga a tela e o usuário se vê). A câmera traseira, principal, tem 13 Megapixels. As imagens, em geral, ficam bem coloridas e com contornos bem delineados.

Entretanto, o que chama a atenção nesse quesito é a quantidade de recursos que o conjunto fotográfico oferece. Ao contrário dos apps aleatórios enxertados no Zenfone em geral, há funções úteis e com nomes bem auto explicativos. Miniatura, Profundidade de Campo, Pouca luz, Remoção Inteligente (de pessoas indesejadas nas fotos), Super Resolução, Cena Noturna.

O Zenfone 2 tem processador quad-core de 2,3 GHz e 4 GB de RAM. Ele também oferece suporte a 4G. Nas especificações, o hardware do Zenfone 2 bate iPhone 6 (que tem processador dual-core de 1.4 GHz e RAM de 1 GB) e tenta chegar perto de outros bons concorrentes, o Motorola Moto Maxx (com processador quad-core de 2,7 GHz, com 3 GB de RAM) e o Samsung S6 Edge Plus (processadores quad-core de 1,5 GHz e quad-core de 2.1 GHz, com 4 GB de RAM).

Direto ao ponto

  • Tela: 5,5 polegadas
  • Sistema Operacional: Android 5
  • Processador: Intel Atom Z3580, quad-core de 2,3 GHz
  • Memória: 4 GB de RAM e 16GB ou 32 GB
  • Câmeras: 5 Mpixels (frontal) e 13 Mpixels (traseira)
  • Dimensões: 15,25×7,72×1,09cm; 170 gramas
  • Conexões: Wi-Fi, 4G, Bluetooth
  • Preço sugerido: R$ 1.299 ou 1.499
  • Pontos positivos: Ótimo hardware, bom preço, rápido nas respostas.
  • Pontos negativos: Repleto de apps inúteis, tela poderia apresentar imagens melhores

Comentários no Facebook