Twitter registra aumento nos pedidos de informações por governos

Em 12 ago 2015 - 8:20pm por redação
Twitter registra aumento nos pedidos de informações por governos

O Twitter registrou um aumento nos pedidos dos governos por informações dos usuários na primeira metade de 2015. Os EUA lideram o ranking, seguidos pelo Japão.

O crescimento é o maior já visto nos períodos em que o Twitter publicou os relatórios, aponta o gerente geral sênior de políticas legais do Twitter, Jeremy Kessel, em um post no blog da empresa.

O Relatório de Transparência indica que os pedidos dos governos por informações de contas no primeiro semestre deste ano foi 52% maior do que o registrado nos seis últimos meses de 2014. Além disso, as solicitações afetaram 78% mais pessoas.

O alcance do relatório foi expandido para incluir informações sobre registros de supostas violações marca registrada e uma seção em que os usuários podem verificar como os provedores de e-mail lidam com a privacidade e a criptografia das mensagens de e-mail do Twitter.

O número total de pedidos dos governos por informações de conta no mundo foi de 4.363 na primeira metade de 2015 e se referiu a 12.711 contas no Twitter, Vine e Periscope – todos serviços da mesma empresa.

O Twitter, por exemplo, recebeu 2.436 pedidos dos EUA que especificaram 6.324 contas. Para efeito de comparação, no segundo de semestre do ano passado, o país realizou 1.622 solicitações afetando 3.299 contas na plataforma.

Os pedidos para remoção de conteúdo também cresceram. O Twitter registrou um número 26% maior dessas solicitações em 2015 em comparação com os seis últimos meses do ano passado – esses pedidos vieram principalmente da Turquia e da Rússia. O número de contas impactadas também cresceu (11%).

O aumento nos pedidos para remoção de conteúdo reflete uma sensibilidade crescente em alguns países pelo uso da rede social para propaganda e comunicação por grupos terroristas e extremistas políticos. Em abril, um tribunal turco bloqueou o acesso a diversos sites no país, incluindo Twitter e YouTube, já que as plataformas eram usadas para espalhar imagens de um promotor de Istanbul sendo ameaçado com uma arma por terroristas.

As solicitações para retirada de conteúdo vieram por meio de pedidos judiciais, chegando a 442 no total, ou pedidos por governos locais, incluindo agências da lei, que aumentaram o número para 561 no primeiro semestre. 

A Turquia, por exemplo, responde por nada menos que 408 pedidos judiciais e outros 310 por meio de agências governamentais e da lei.

Além disso, o Twitter registrou um aumento nos pedidos por remoção de conteúdo no Iraque, Malásia e Mongólia nos últimos seis meses.

Brasil

No Brasil, o Twitter recebeu um total de 52 pedidos por informações de contas, que impactaram um total de 102 contas. 

Já os pedidos judiciais para retirada de conteúdo ficaram em 17, menos do que os 27 registrados no segundo semestre de 2014. 

Comentários no Facebook