Upgrade gratuito do Windows 10 não terá impacto financeiro na Microsoft

Em 17 ago 2015 - 6:16pm por redação
Upgrade gratuito do Windows 10 não terá impacto financeiro na Microsoft

Quando a Microsoft anunciou o upgrade gratuito para o Windows 10, fez muita gente falar sobre isso. Afinal de contas, a empresa cobrava cerca de 200 dólares por licença para os consumidores fazerem o upgrade para o Windows 7 Professional há seis anos. Então um upgrade gratuito de um novo sistema teria um grande impacto nos negócios da companhia de Redmond, certo?

Nem tanto, aponta a gerente sênior e analista da consultoria Piper Jaffray, Katherine Egbert. Segundo ela, como a maioria das pessoas recebe uma nova versão do Windows ao comprar um novo computador, a decisão de oferecer upgrades gratuitos não terá “nenhum impacto financeiro” na Microsoft.

A empresa ainda vai ganhar dinheiro das fabricantes de PCs que precisam licenciar o Windows 10 para os novos computadores que venderem.

Em uma linha parecida, o analista da IDC, Al Gillen, afirmou que a Microsoft lhe disse consistentemente que as vendas de upgrades do Windows no varejo são uma parte “não material” do seu negócio. Isso não é dizer que a versão mais recente do sistema da empresa não traz nenhuma para a Microsoft, mas que no final das contas não é um componente principal no negócio da empresa.

A Microsoft pode estar deixando de ganhar milhões de dólares em vendas, mas no final isso não é muito em comparação com os rendimentos de 93,5 bilhões de dólares que a empresa registrou no último ano fiscal.

Obviamente que a Microsoft não está estendendo o mesmo negócio para as empresas que precisam licenciar a versão Enterprise (Corporativa) do Windows 10 (ou a versão Educação), mas as companhias que pagam pelo Software Assurance poderão fazer o upgrade como parte da sua assinatura.

Além disso, Gillen disse que oferecer um upgrade gratuito é uma iniciativa com um “grande lado positivo” que vai estimular a adoção do sistema entre os usuários e, por fim, vai beneficiar a Microsoft.

“Penso que é uma ação brilhante. Acho que é a coisa mais inteligente que eles já poderiam ter feito”, explica.

Na visão de Gillen, a decisão da Microsoft de fornecer um upgrade gratuito para o Windows carrega um grande benefício para a empresa: encoraja desenvolvedores de aplicativos de terceiros a desenvolverem software para o novo sistema operacional. No passado, os consumidores esperavam para atualizar até que os desenvolvedores lançassem novos aplicativos que aproveitassem o novo sistema, enquanto que os desenvolvedores esperavam pelos consumidores no novo software antes de criar apps. É um ciclo vicioso que faz com que as pessoas evitem fazer o upgrade.

Ao permitir que os desenvolvedores criem apps universais que rodem em tablets, PCs, celulares e outros aparelhos, a Microsoft forneceu um incentivo-chave para a criação e atualização do Windows 10. Encorajar os usuários a fazer o upgrade ao liberar o novo sistema de graça vai estimular ainda mais os desenvolvedores a trabalharem com o Windows 10.

“Se eu fosse um desenvolvedor, teria muita dificuldade para argumentar sobre por que não deveria migrar para o Windows 10 e a plataforma de aplicativos universais”, afirma Gillen.

A Microsoft não revelou publicamente o tamanho do impacto que a empresa pensa que os upgrades gratuitos terão nos seus negócios. Mas a CFO da empresa, Amy Hood, notou durante um encontro com analistas financeiros que a Microsoft possui uma variedade de novas maneiras para ganhar dinheiro com os usuários do Windows 10 após eles fazerem o upgrade – e que não estavam necessariamente disponíveis antes para a empresa.

Primeiro e mais importante de tudo, a Windows Store é um componente-chave da experiência do Windows 10 para os usuários, e a Microsoft recebe uma porcentagem de todas as vendas feitas por meio da plataforma. Hood também destaca o suporte melhorado do sistema para games e o fato de a busca do Bing ser embutida no software. 

Tudo isso contribui para uma versão do Windows com a qual a Microsoft pode ganhar dinheiro nos próximos anos, mesmo não cobrando nada dos usuários pelo upgrade. Isso é uma boa notícia, desde que a empresa mantenha seus planos do “Windows como um serviço” e ofereça melhorias contínuas para o sistema.

Como a Microsoft fornecerá o que serão algumas vezes updates de recursos importantes no ciclo de vida de um aparelho, a empresa planeja protelar seus rendimentos a partir de novas licenças do Windows. Apesar de as fabricantes pagarem de uma vez só pelas cópias do Windows, a Microsoft vai registrar essas vendas em pedaços menores ao longo do tempo.

Gillen diz que, enquanto as finanças da Microsoft não serão muito afetadas por conta dos upgrades gratuitos, as fabricantes de PCs não ficarão muito animadas. Como a Microsoft quebrou ao menos parcialmente o ciclo de as pessoas comprarem novos computadores para receber uma nova versão do Windows, os fabricantes não verão o mesmo aumento nas vendas que veriam com um novo sistema.

No entanto, o analista prevê que as fabricantes verão benefícios em longo prazo para a iniciativa. Isso porque o Windows 10 traz recursos que se beneficiam de aparelhos sensíveis ao toque que podem encorajar os usuários a comprarem computadores telas touchscreen quando precisarem de um novo PC.

No geral, Gillen disse que a mudança mostra que está claro que a Microsoft está disposta a jogar fora seu “livro de instruções” e tentar algo novo.

“Eles estão pensando fora da caixa. Dou crédito a eles por isso”, afirmou.

Comentários no Facebook