Google garante que não quer ser uma montadora de carros

Em 16 set 2015 - 10:33pm por redação
Google garante que não quer ser uma montadora de carros

O Google não tem pretensões de se tornar uma fabricante de carros. Pelo menos foi o que garantiu Philipp Justus, diretor de negócios da empresa para Alemanha, Áustria e Suíça, durante conferência automobilística em Frankfurt. 

“Não é algo que poderíamos fazer sozinhos. O Google não tem intenções de se tornar uma montadora”, afirmou. 

A “garantia” acontece depois do Google ter anunciado, no início desta semana, uma contratação de peso para sua divisão de carros autônomos, o veterano John Krafcik, ex-CEO da Hyundai Motors America. No caso, Krafcik assume o posto de chefe executivo do projeto.

Para alguns analistas, a contratação de Krafcik indica que o Google tem em mente levar o projeto de carros autônomos para a linha de produção e, consequentemente, à venda. Algo que a empresa poderia fazer em parceria com montadoras – o Google já usou modelos Toyota, Audi e Lexus para seu software autônomo. 

No entanto, montadoras já bem estabelecidas têm visto o Google como certa ameaça. Não à toa, a BMW, Mercedes-Benz e Audi estão em busca de especialistas em software a medida que o Google avança para desenvolver carros que se dirigem sozinhos.

Se antes, fábricas não precisavam se preocupar com o quesito software, hoje a popularização de carros conectados a smartphones, por exemplo, indica a necessidade de reverem suas expertises. 

Caso não reforcem seus conhecimentos digitais, montadoras deverão ficar para trás na corrida pela direção autônoma. Vale lembrar que as três empresas citadas já deram indícios claros de que estão atentas ao futuro de carros inteligentes. Em agosto, anunciaram que vão desembolsar 2,5 bilhões de euros para comprar a divisão de mapas da Nokia.

 

Comentários no Facebook