São Paulo terá maior centro de pesquisa em grafeno da América Latina

Em 26 fev 2016 - 3:39pm por redação
São Paulo terá maior centro de pesquisa em grafeno da América Latina

Na contramão da crise, Mackenzie revelou que vai investir R$ 100 milhões no que será maior centro de pesquisa em grafeno da América Latina. A estrutura, também dedicada ao estudo de nanotecnologias, será inaugurada na quarta-feira (02/03), no campus da instituição localizada no bairro de Higienópolis, em São Paulo.

“O MackGraphe marca um momento histórico não só para a universidade, mas também para o país, pois apresenta ao Brasil, em um momento de crise e poucas perspectivas econômicas, uma oportunidade de se juntar às grandes potencias cientificas mundiais nesse mercado que movimentará, em 10 anos até US$ 1 trilhão”, defende a universidade.

O grafeno é uma das formas do carbono que funciona como um excelente condutor de calor e eletricidade. O componente traz consigo a promessa de diversas aplicações em TI. Empresas de semicondutores, por exemplo, já  realizaram testes a fim de substituir o silício pelo material devido à sua altíssima eficiência em comparação ao silício.

Segundo a instituição, existem apenas seis centros de pesquisa de grafeno e, nenhum deles, criados por uma universidade privada, com recursos próprios. A iniciativa tem parceria com diversos órgãos, dentre os quais a Fapesp e o CNPq.

“Para o MackGraphe ter efetividade, a tecnologia do grafeno deve ser aplicada no contexto da economia brasileira, como ocorre em nações que já exploram o material; Estados Unidos, Inglaterra, Coréia, e Cingapura”, indica.

Como parte da cerimônia de inauguração, haverá uma mesa redonda na quinta-feira (03/03) uma mesa redonda com o prêmio Nobel de Física, Sir Andre Geim. Nesse mesmo dia, haverão várias atividades para discutir os avanços da tecnologia. 

Comentários no Facebook