Computador neural da Google enfrenta oponente humano em torneio de Go

Em 8 mar 2016 - 6:54pm por redação
Computador neural da Google enfrenta oponente humano em torneio de Go

Quando o supercomputador Deep Blue, da IBM, venceu o campeão mundial de xadrez Garry Kasparov em 1997, o mundo descobriu abismado os poderes da Inteligência Artificial. Em 2011, presenciamos uma nova vitória da máquina sobre seres humanos quando Watson, o computador cognitivo da IBM, derrotou dois antigos vencedores do programa de perguntas e respostas Jeopardy, Brad Rutter e Ken Jennings, numa disputa em 2011 na TV.

Amanhã (09/03), mais uma vez as máquinas vão tentar provar que são melhores que os humanos, quando o sistema de redes neurais da Google, DeepMind AlphaGo, enfrentar o sul-coreano Lee Sedol, de 33 anos, na primeira de uma série de cinco partidas do antigo jogo chinês de tabuleiro Go. As partidas acontecem nos dias 9/03, 10/03, 12/03, 13/03 e 15/03, no Hotel Four Seasons de Seul, todos os dias às 13h00 (horário de Seul) e serão transmitidas ao vivo no canal do DeepMind no YouTube.

Por conta do fuso horário, é importante anotar que no Brasil elas podem ser vistas na madrugada do dia do jogo (01h00). O vencedor do torneio levará US$ 1 milhão. Se vencer, o AlphGo vai doar o dinheiro para entidades como UNICEF e STEM.

Desafio definitivo

A disputa está sendo considerada o desafio definitivo para um sistema de inteligência artificial, já que o jogo de tabuleiro Go, embora com regras extremamente simples, oferece uma quantidade absurda de possibilidades de movimento: 10761 posições, contra 10120 posições do jogo de xadrez.

Não é a primeira vez que o Google DeepMind AlphaGo enfrenta um humano. Em outubro de 2015 ele venceu por 5 a zero uma série de partidas de Go contra o campeão europeu Fan Hui. Agora, o oponente humano detém há dez anos o título de melhor jogador mundial de Go, elevando em muito o desafio. Para ter uma ideia, cada partida deverá durar entre quatro a cinco horas.

O jogo de tabuleiro Go foi criado na China há 2,5 mil anos. Suas regras são simples: dois jogadores, cada um com um conjunto de pedras pretas ou brancas, colocam peças alternadas em um tabuleiro de 19×19 casas com o objetivo de cercar as peças do oponente sem ter suas próprias peças cercadas por ele. Por não envolver apenas técnica, mas intuição e malícia, o Go certamente é um desafio e tanto para um sistema de Inteligência Artificial.

Sobre o DeepMind AlphaGo 

O sistema AlphaGo se utiliza da tecnologia de redes neurais e Deep Learning, que processam uma quantidade gigantesca de dados por meio de um processo de conexões muito parecido com o das redes neurais dos cérebros humanos. O computador, segundo a Google, assume uma postura diferente frente ao jogo e tem vencido 99% das partidas que disputou anteriormente com outros computadores simulando o Go.

“O AlphaGo joga como um ser humano”, disse o campeão europeu Fan Hui em uma entrevista no início do ano sobre suas partidas contra o computador no ano passado. “Eu já ouvi que a Inteligência Artificial do Google DeepMind está ficando cada vez mais poderosa, mas estou confiante que posso vencê-lo, pelo menos desta vez, diz o novo oponente, Lee Sedol.

Comentários no Facebook