Engenheiros da Apple preferem se demitir do que ajudar FBI, diz NYT

Em 18 mar 2016 - 7:30pm por redação
Engenheiros da Apple preferem se demitir do que ajudar FBI, diz NYT

Caso o FBI prevaleça e consiga fazer com que a Apple ofereça uma backdoor para um iPhone criptografado, a agência de segurança dos EUA pode ter problemas para encontrar quem faça isso.

Ao menos é isso o que disseram vários ex e atuais funcionários da Apple – incluindo engenheiros de segurança – que falaram de forma anônima ao The New York Times.

Alguns disseram que se recusariam a fazer o serviço ou pediriam demissão caso necessário, em vez de criar o que acreditam ser um comprometimento gigante de segurança para todos os usuários.

No momento, a Apple apela uma decisão da Justiça dos EUA para criar uma versão separada do iOS que permitiria ao FBI destravar um iPhone 5C em especial, que pertencia ao suspeito de terrorismo Syed Rizwan Farook, acusado de matar 22 pessoas em San Bernadino, na Califórnia, em dezembro de 2015.

A Apple argumenta que esse tipo de software tecnicamente não pode ser limitado a apenas um smartphone, e que isso poderia danificar a segurança de todos os usuários, já que não há garantias de que o FBI poderia evitar que isso caísse em mãos erradas. Além disso, a ordem judicial abre um precedente que permitiria ao governo americano destravar qualquer celular, e poderia estimular outros governos a fazer o mesmo. Até o momento, nenhum especialista em segurança e/ou criptografia ficou ao lado do Departamento de Justiça dos EUA. 

O NYT cita três funcionários da Apple em particular – mas não por nome – que possuem o conhecimento para criar a versão do iOS caso a Apple seja obrigada, mas não ficou claro se foram eles que votaram por resistir às demandas do FBI.

Comentários no Facebook