Uber registra prejuízo de US$ 4,5 bilhões em 2017

Em 15 fev 2018 - 12:09pm por videobes


O ano de 2017 não foi muito generoso com a Uber que entre polêmicas envolvendo acusações de roubo de propriedade intelectual, substituição do CEO-fundador e vazamento massivo de dados, também acumulou um prejuízo de US$ 4,5 bilhões durante o ano, segundo relatório apresentado aos investidores nessa quarta-feira (14).

O prejuízo quase dobrou em relação ao que a empresa registrou em 2016, quando teve um déficit de US$ 2,8 bilhões, como lembra reportagem da Bloomberg.

O quatro trimestre da empresa, entretanto, mostra que a Uber pode ganhar um respiro para este ano. Isso porque nos últimos três meses a receita da companhia cresceu 61% em relação ao período do ano anterior. Vale ressaltar aqui que os resultados positivos do período coincidem com a entrada do novo CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, que assumiu a posição em setembro passado, com a missão de transformar a manchada imagem da empresa, em parte, causada pelo fundador Travis Kalanick.

O UberEats também mostrou resultados positivos, alcançando uma receita de US$ 4 bilhões no último trimestre, colocando o aplicativo de entrega de comida a representar 10% do total da Uber.

Apesar de não ser uma empresa pública, a Uber dedidiu anunciar parte de seus resultados financeiros ao público. No ano passado, o conglomerado japonês SoftBank investiu um total de US$ 9,3 bilhões, colocando-o como o maior acionista da empresa.

Outros débitos da companhia, que devem ser pagos ainda, incluem a multa de US$ 245 milhões a Waymo, divisão de carros autônomos da Alphabet.

As duas companhias entraram em um acordo após a Waymo acusar a Uber de se beneficiar de segredos comerciais obtidos por um ex-engenheiro que saiu da Alphabet para fundar a startup de caminhões autônomos Otto. A Uber comprou a Otto em 2016 e desde então vinha avançado sua pesquisa e desenvolvimento na área de veículos autônomos.

Comentários no Facebook