Amazon.com.br se prepara para vender cosméticos no Brasil, diz Reuters

Em 15 jun 2018 - 3:07pm por videobes


Após começar a vender eletrônicos no final de 2017, a Amazon.com.br estaria se preparando para entrar em outro disputado e lucrativo segmento no Brasil: cosméticos.

Segundo a agência Reuters, que cita pessoas próximas do assunto como fontes, a gigante do e-commerce já estaria inclusive em conversas com grandes empresas do setor no país, como Boticário e Natura, para comercializar esses produtos na sua plataforma on-line.

Atualmente, o Brasil ocupa a quarta posição no ranking global do mercado de cosméticos, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, China e Japão. Conforme levantamento publicado pela Veja em reportagem recente, o segmento deve crescer 3,8% em 2018, com a expectativa de atingir uma receite de 106 milhões de reais neste ano.

Posição Amazon

Após contato da reportagem do IDG Now!, a assessoria da Amazon no Brasil enviou o seguinte comunicado sobre o assunto: “Nos últimos cinco anos, desde o lançamento da Amazon.com.br, realizamos centenas de reuniões com potenciais vendedores e fornecedores sobre seus negócios no Brasil e possíveis planos futuros. Não especulamos sobre planos futuros.”

Além dos livros

Presente no Brasil desde 2012, a Amazon.com.br passou muito tempo vendendo apenas livros e e-readers/e-books no mercado local. Mas a gigante deu um passo e tanto no Brasil ao começar a vender aparelhos eletrônicos por aqui em outubro de 2017. Pouco depois disso, a empresa lançou lojas de Ferramentas e Construção e Casa e Cozinha na sua plataforma local.

No entanto, vale lembrar que todos esses produtos são vendidos por meio do marketplace da Amazon. Ou seja, são comercializados por terceiros, mas possuem algumas garantias, como entrega e parcelamento dos pagamentos, fornecidas pela gigante de e-commerce.

Vendas diretas?

Recentemente, um documento assinado no dia 1º de fevereiro e registrado na Junta Comercial de São Paulo aponta que as companhias que controlam a Amazon no Brasil, Rainforest Holdco 1 e Rainforest Holdco 2 – registradas nos EUA – repassaram o valor de 97,5 milhões de reais à filial brasileira nos termos de contrato de câmbio. A notícia fez com que surgissem especulações sobe a Amazon estar se preparando para iniciar vendas diretas no país.

Comentários no Facebook