Amazon investiga venda de dados confidenciais por funcionários da própria empresa

Em 17 set 2018 - 3:22pm por videobes

Vendedores do marketplace da Amazon na China subornaram funcionários da companhia para obter acesso a dados internos de vendas ou para excluir críticas negativas, segundo reportagem publicada nesse domingo (16) pelo The Wall Street Journal. A Amazon informou ao jornal que iniciou uma investigação sobre a prática que seria, aparentemente, restrita ao mercado chinês. Entretanto, a companhia disse que a investigação também se estende aos funcionários nos Estados Unidos.

De acordo com a reportagem, intermediários usam sites de redes sociais como a chinesa WeChat para rastrear funcionários da Amazon, oferecendo-lhes dinheiro para entregar informações internas ou para excluir críticas negativas. Para excluir uma crítica negativa e ainda subtitui-la por uma com cinco estrelas custaria cerca de US$ 300, apurou o jornal. Funcionários da Amazon também foram solicitados a fornecer endereços de e-mail de clientes que deixaram avaliações ruins ou fornecer informações de vendas para dar uma vantagem aos vendedores contra seus concorrentes.

Um porta-voz da Amazon disse ao WSJ que, em resposta a essa prática, a companhia implementou “sistemas para restringir e auditar o que os funcionários podem acessar”.

Ao site The Verge, a empresa de Jeff Bezos disse que possui políticas rigorosas e um Código de Conduta e Ética nos Negócios para funcionários e que qualquer pessoa que viole o código “enfrenta disciplina, incluindo demissão e potenciais penalidades legais e criminais”.

Comentários no Facebook