Brasileiras se reúnem para criar apps que promovem causas feministas

Em 30 out 2018 - 2:33pm por videobes

A Sputnik, braço de educação corporativa da Perestroika, que tem como missão transformar empresas e novas formas de gestão e a Mastertech, plataforma para desenvolvimento de habilidades digitais, lançaram recentemente uma iniciativa que busca incentivar mulheres empreendedoras à programação e projetos digitais de impacto social.

Embora o feminismo tenha ganhado espaço, as mulheres ainda encontram barreiras a ser enfrentadas, como a questão da igualdade salarial, o feminicídio que cresce a cada dia, a falta de representatividade na política e de cargos de liderança no mercado de trabalho. Da mesma forma, no mundo de tecnologia e programação, homens têm hegemonia.

Compreendendo essas dificuldades enfrentadas e reconhecendo o esforço das profissionais brasileiras em aumentar essa representatividade, a Sputnik e a Mastertech criaram o Chora APP – Empieza el Matriarcado. A iniciativa foi lançada na última semana em evento na própria sede da Sputnik, em Pinheiros, São Paulo, com a presença de influenciadoras feministas, mulheres inspiradoras do universo de startups e grandes profissionais de mercado.

“Vamos ensinar programação para pessoas de diferentes áreas, empoderando e distribuindo conhecimento computacional de maneira escalável. Para o nosso primeiro protótipo, escolhemos um tema emergente e urgente: o universo feminino”, explica Mari Achutti, CEO da Sputnik. “Durante esses três dias de imersão, além de discutir problemas do universo feminino, criamos uma rede de mulheres programadoras conectadas para submergirem nas profundezas de sentimentos e dores adormecidas”, complementa.

Ao todo, foram criados sete aplicativos que visam empoderar suas usuárias em diferentes frentes. A primeira edição, em especial, levanta a importância da diversidade no mercado da tecnologia. Conheça os aplicativos da iniciativa:

Amora: aplicativo que visa fortalecer e fazer novas amizades entre mulheres de diferentes raças

Salto: aplicativo para acompanhar a disparidade ou equidade salarial entre homens e mulheres dentro das organizações

Ariete: aplicativo para rever os conceitos de sucesso profissional

Meu Limite: aplicativo que funciona como uma plataforma de apoio para mulheres que sofreram abusos com acompanhamento psicológico, jurídico e relatos de outras vítimas

Quer teclar: aplicativo para conhecer novas pessoas sem se basear na imagem, mas na personalidade dela

Dona: Ecofeminismo para encontrar e divulgar o trabalho de mulheres com saberes da natureza

Fortaleça: aplicativo para capacitar e conectar mulheres com outras mulheres para promover a troca de experiência entre elas e dessa forma, empoderar as lideranças femininas.

Comentários no Facebook