World Wide Web completa 30 anos nesta terça: 5 coisas que você precisa saber

Em 13 mar 2019 - 1:29pm por videobes


Tim Berners-Lee tinha 33 anos quando teve a ideia para algo que mais tarde seria chamado de World Wide Web e o gatilho para uma série de inovações que impactam nossa vida diariamente. Berners-Lee era um dos engenheiros de software da CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), na Suíça, onde está instalado o maior acelerador de partículas do mundo, quando pensou em criar um grande banco de dados de hipertexto com links, chamado “Mesh”, para ajudar seus colegas do CERN a compartilharem informações entre vários computadores. Vale ressaltar que, na época, seu chefe Mike Sendall, descreveu a ideia como “vaga, porém animadora”, mas não impediu que Berners-Lee a desenvolvesse. Surgiam assim os primeiros passos para a World Wide Web que, nesta terça-feira (12/03) completa 30 anos de idade.

Para celebrar a data, o Google dedicou um Doodle exclusivo onde relembra o contexto da invenção de Berners-Lee. “Há pouquíssimas inovações que realmente mudaram tudo. A Web é a inovação mais impactante do nosso tempo”, destacou Jeff Jaffe, CEO do World Wide Web Consortium.

Na lista abaixo, separamos 5 fatos sobre uma das maiores invenções da humanidade.

1. World Wide Web não é a mesma coisa que Internet

Apesar dos termos serem usados, muita vezes como sinônimos, a Internet e a Web não são a mesma coisa. Isso porque a internet é uma grande rede de computadores, incluindo centenas de milhões de servidores e data centers localizados ao redor do mundo. Já a World Wide Web é uma das formas que as pessoas conseguem acessar informações armazenadas na internet. Em resumo, quando você envia e-mails para alguém, eles viajam através da Internet e não da web. Se você utiliza um aplicativo como o WhatsApp, por exemplo, isso usa a internet, mas não a web. A “www” usa o protocolo de transferência de hipertexto (o HTTP que você vê na barra de endereços) como base para a distribuição de informação e comunicação. Já a Internet vem sendo desenvolvida desde os anos 1960.

2. Ela quase não existiu

Berners-Lee trabalhava como engenheiro de software na CERN, onde está instalado o Grande Colisor de Hádrons (LHC), quando teve a sua grande sacada. Apesar de não ter sido convencido completamente de sua ideia, seu chefe Mike Sendall, permitiu que ele desenvolvesse um humilde fluxograma em um modelo de trabalho, escrevendo a linguagem HTML, o aplicativo HTTP e o WorldWideWeb.app – o primeiro navegador da Web e editor de páginas. Em 1991, os servidores Web externos estavam funcionando.

3. A World Wide Web poderia ter outro nome

Você imagina a rede mundial de computadores tendo outro nome que não esse? Pois Berners-Lee considerou nomear a sua rede de notas com links como “Information Mesh”, ou “Information Mine” ou “Mine of Information”. Ainda, o uso do “www” na frente do endereço de sites é uma convenção ou ainda hábito que permanece, afinal não é necessário usar os três “w” para acessar um site, seu propósito era simplesmente para atuar como um marcador de que um servidor web estava em uso.

4. Efeitos colaterais

Um dos discursos recorrentes de Berners-Lee sobre os efeitos colaterais negativos da World Wide Web é a vigilância que ela proporcionou para diferentes atores. Isso porque muitos negócios que operam online têm coletado dados de usuários por anos e enquanto muitos de nós concordam em entregar nossas informações em troca de serviços personalizados, “toneladas” de dados pessoais estão nas mãos de instituições comerciais. Berners-Lee alerta que isso criou uma cultura global de vigilância que prejudica a liberdade de expressão, facilita regimes autoritários e até mesmo coloca vidas em risco. Para além da vigilância, a rede também foi minada pela ascensão das fake news. Bots e contas falsas dão conta de viralizar boatos em redes sociais, algo que prejudica a confiança, um ponto chave da rede.

5. E se a rede fosse fechada?

Em 1991, Berners-Lee passou a perceber a importância de tornar a web uma plataforma aberta. Em certa ocasião ele disse que se a tecnologia fosse proprietária e sob o seu controle total, provavelmente ela nunca teria decolado. “Você não pode propor que algo seja um espaço universal e ao mesmo tempo manter o controle dele”, disse. Em 1993, Lee e a CERN anunciaram que o código usado para construir a web seria gratuito para qualquer pessoa usá-lo. Foi esse movimento que permitiu que a rede mundial de computadores se tornasse o que é hoje.

Comentários no Facebook