Grandes empresas estão sendo processadas por vender gravações piratas

Em 20 maio 2019 - 2:07pm por videobes


Apple, Amazon, Google, Microsoft e Pandora estão sendo processadas pelos responsáveis pela propriedade intelectual de Harold Arlen, compositor de inúmeras músicas clássicas de sucesso, como Over the Rainbow de O Mágico de OZ. A acusação principal diz respeito aos direitos autorais das obras, e em como as plataformas de vendas digitais estão comercializando versões “piratas” de mais de 6.000 gravações.

O processo alega que esses varejistas estão vendendo e transmitindo as gravações alternativas com o total conhecimento de que não são autorizadas. No total, foram feitas 216 reclamações em suas 148 páginas. Também é citado que diversos distribuidores fornecem catálogos de música contendo as gravações não autorizadas.

É possível ver algumas das versões não autorizadas citadas no processo em lojas online. Por exemplo, há duas cópias do álbum Once Again… de Ethen Ennis disponíveis para streaming no Apple Music, mas a capa de um desses álbuns foi editada para remover o logo da RCA Victor, localizado no canto superior direito.
Um outro exemplo mostra a clara diferença entre duas cópias de uma mesma gravação. O álbum em questão é uma gravação original do musical Jamaica, que está sendo vendido na Amazon. O que parece ser a versão autorizada da Masterworks Broadway custa US$9,99, enquanto uma cópia aparentemente não autorizada da Soundtrack Classics custa US$3,99, assim como o álbum de Ennis, o logotipo parece ter sido editado.

Como diz o processo, “é difícil que uma pessoa entre em uma loja de discos com os braços cheios de CDs e discos de vinil e consiga que a loja venda suas cópias diretamente ao lado dos mesmos álbuns lançados pelas gravadoras lendárias Capitol, RCA e Columbia, e por um preço menor”. Quem moveu o processo exige, além dos honorários dos advogados, o pagamento de danos morais.

Comentários no Facebook