WhatsApp avisa: disparo de spam agora poderá ser resolvido na Justiça

Em 11 jun 2019 - 2:08pm por videobes

Em novos esforços para controlar o envio de spam e fake news, o WhatsApp revelou nesta segunda-feira (10), sem muitos alardes, que empresas ou pessoas físicas que fizerem disparos de mensagens em massa automaticamente poderão ser banidas e até mesmo acionadas judicialmente, uma vez que desrespeitam seus termos de serviço.

Em comunicado na sessão de perguntas e respostas do WhatsApp, a empresa deu um prazo para começar a “penalizar” o comportamento: 7 de dezembro de 2019. “O WhatsApp tomará medidas legais contra aqueles que determinarmos estarem engajados ou auxiliando outros envolvidos em abusos que violem nossos termos de serviço, como mensagens automatizadas, em massa ou uso não pessoal”, declarou no comunicado.

Na mesma sessão, a plataforma diz estar ciente de que “algumas empresas tentam iludir” seus sistemas de aprendizado de máquina, mesmo quando “trabalhamos incansavelmente para melhorá-los”. “É por isso que, além da aplicação tecnológica, também tomamos medidas judiciais contra indivíduos ou empresas que estejam ligados a evidências de tais abusos na plataforma”.

A nova medida é uma abordagem alternativa e, talvez, a mais incisiva do WhatsApp em sua luta contra a disseminação de fake news no mensageiro. A plataforma tem sido culpabilizada por ajudar na propagação de boatos e notícias falsas nos últimos dois anos, influenciando, assim, a opinião pública. Uma das reações do mensageiro foi atualizar o serviço para limitar o envio de mensagens encaminhadas, de 20 contatos para apenas cinco.

Comentários no Facebook