Designers da Venezuela recorrem à pirataria após Adobe barrar acesso

Em 9 out 2019 - 1:25pm por videobes


A Adobe, seguindo determinação do governo dos Estados Unidos, desativou contas de usuários na Venezuela no começo da semana. O bloqueio faz parte da estratégia do Donald Trump para tirar o presidente Nicolás Maduro do poder. Em função disso, designers venezuelanos recorreram à pirataria para contornar o bloqueio imposto pela empresa.

Dois dos principais softwares da Adobe, Photoshop e Illustrator, são imprescindíveis para designers, artistas digitais e ilustradores. Com isso em mente, a estudante de artes gráficas da Universidade de Andes, no Estado de Merida, Gremiana Gonzalez, publicou instruções no Twitter sobre “como liberar qualquer aplicativo da Creative Cloud”, conjunto de serviços e aplicativos da Adobe.

“Nessas circunstâncias, ou você usa software pirateado, ou você não come”, publicou a estudante. “Eu sei que assim como eu, muitos venezuelanos dependem completamente de freelas e o pacote da Adobe é o mais usado, mais reconhecido e de mais fácil acesso”, completou.

Um porta-voz do Departamento do Tesouro dos EUA, que implementa sanções, disse que o tesouro tem “um programa de sanções ativo na Venezuela, que visa privar recursos do ilegítimo regime de Maduro.”

A Adobe anunciou que seus produtos vão parar de funcionar na Venezuela

Comentários no Facebook