O Instagram parou de mostrar a quantidade de curtidas! E agora?

Em 25 nov 2019 - 9:25am por videobes

 

O Instagram é uma das redes sociais mais usadas em todo o mundo. Com mais de 1 bilhão de usuários ativos, a plataforma é 15 vezes mais interativa que o Facebook e concentra, em média, 1,5 bilhões de curtidas por dia. 

No Brasil, cerca de 64 milhões de pessoas usam o Instagram, colocando o país no terceiro lugar no ranking mundial da rede, perdendo apenas para a Índia (71 milhões) e Estados Unidos (121 milhões).

Esse número não para de crescer – são mais de 60 milhões de fotos publicadas diariamente, fazendo com que a rede social ganhe destaque nas estratégias de marketing. 

A plataforma oferece excelentes ferramentas para gerenciamento de vendas, com possibilidade de publicação de fotos com preços dos produtos. 

Além disso, o Instagram é visto como uma das redes que mais oferece visibilidade aos negócios, devido à proximidade com os usuários.

Já é comum ver todos os tipos de empresas no Instagram: desde pessoas que oferecem curso para instrutor de pilates, passando por lojas de roupas, maquiadores, academias, fotógrafos, clínicas de estética e muito mais! 

As opções são diversas, principalmente, para quem gosta de atrair o público visualmente.

Entretanto, em 2019 o Instagram resolveu modificar uma de suas mais populares ferramentas: as curtidas. 

Agora, o número de pessoas que curtiram a publicação não aparece mais, sendo que os usuários só terão acesso a essa informação quando de suas próprias contas, não de outros perfis.

De acordo com o próprio Instagram, a mudança é uma tentativa de tornar o aplicativo mais sociável, para que as pessoas interajam mais com o conteúdo publicado, do que com as curtidas, reduzindo a competitividade na rede. 

O Instagram também afirmou que a ação faz parte de um conjunto de medidas que visa combater o discurso de ódio e o bullying na web, bem como outros fatores que tornam o ambiente prejudicial para o bem-estar dos usuários.

Assim, quando você se deparar com um conteúdo sobre rejuvenescimento do rosto, por exemplo, ao invés de ser condicionado a curtir a foto pelo número de likes de outros usuários, a intenção do Instagram é que você preste atenção ao material. 

Com isso, é possível realmente perceber se aquele procedimento é o que o usuário realmente procura, ou se somente é influenciado por outras pessoas, sem levar em conta a informação.

E como isso afeta as estratégias de marketing?

Ainda é difícil medir os impactos do fim dos likes no Instagram, mas já é possível perceber que a medida afetou os influenciadores, principalmente. 

Também chamados de digital influencers, eles são perfis de personalidades com um grande número de seguidores. 

Por conta disso, os influenciadores negociam com empresas de diferentes ramos e segmentos, para influenciar outras pessoas na aquisição de produtos/serviços.

Por exemplo, as chamadas “musas fitness”, que são personalidades que priorizam uma vida saudável e a prática de exercícios físicos para um corpo padrão, podem negociar com um nutrólogo para atletas e, assim, divulgar o serviço. 

Esse tipo de marketing digital é um dos mais efetivos e assertivos no Instagram, já que os influenciadores conseguem “convencer” os usuários mais do que as próprias empresas.

O engajamento de um influenciador é mostrado por inúmeros fatores, entre eles, a quantidade de curtidas. 

Com o fim dos likes, as empresas terão que procurar os influenciadores mais pelo seu conteúdo e interação com outros usuários. 

Ou seja, se um nutricionista particular decidir procurar uma “musa fitness”, por exemplo, o profissional terá que perceber se o influenciador realmente corresponde às suas expectativas, compartilhando valores e princípios.

 

Para a sociedade, isso é um ganho, conforme se deixa de lado a cultura egocêntrica, para se concentrar mais na qualidade do conteúdo e da informação publicada. 

Como consequência, as empresas terão que investir em produção relevante, oferecendo algo realmente informativo, educativo e valioso para os usuários.

Assim, ao invés de publicar uma foto dos resultados de um preenchimento facial definitivo, esperando uma grande quantidade de likes, o marketing terá que se voltar à produção de conteúdo, com explicações sobre a técnica, informações sobre o procedimento, entre outros.

O fim dos likes no Instagram pode ser uma oportunidade para empresas investirem em conteúdos realmente importantes, com diversificação de formatos, textos mais aprofundados e pesquisa de qualidade. 

Além disso, outros recursos da rede podem ajudar a perceber o engajamento do perfil e no crescimento da marca, como:

 

  • A publicação em stories;
  • A interação dos usuários com os stories;
  • As visitas no perfil oriundas das hashtags;
  • Os anúncios pagos;
  • A frequência de publicação.

 

Além de retirar a visibilidade pública de curtidas, o Instagram anunciou outras mudanças, que visam minimizar práticas de competitividade dentro da rede, bem como discursos de ódio e crimes virtuais. 

A plataforma anunciou a implantação de um sistema de Inteligência Artificial, responsável por questionar o usuário sobre o conteúdo, antes de publicá-lo. Isso quer dizer que o próprio Instagram irá avisar o perfil, caso encontre algo ofensivo ou que possa prejudicar alguém.

Dicas de produção de conteúdo para o Instagram

Já que o “fim dos likes” exige uma nova abordagem no marketing, voltada para a produção de conteúdo relevante, de qualidade e informativo, as empresas precisam se readaptar e, mais do que isso, utilizar outros recursos no Instagram. 

 

Pensando nisso, separamos algumas dicas que podem te ajudar no engajamento do perfil, mesmo sem a visibilidade pública das curtidas!

Interação nos stories

O Stories é uma ótima ferramenta de interação com os usuários. Por meio dele, é possível fazer perguntas, elaborar enquetes, responder dúvidas e compartilhar outras publicações.

Para exemplificar, ao fotografar uma aula de pilates com bola, é possível perguntar aos usuários o que eles acham e quais são os questionamentos sobre a atividade.

Ao perceber a interação dos usuários, o perfil responsável pode “pegar” essas perguntas e compartilhá-las (de modo anônimo), respondendo as dúvidas diretamente no stories. 

 

Desse modo, as pessoas se sentem contempladas, já que a conta da empresa deu atenção às suas dúvidas.

Preço de produtos direto nas fotos

O Instagram permite que as empresas coloquem o preço de seus produtos diretamente nas publicações do feed. 

Por exemplo, ao tirar uma foto de uma quick massage preço sessão, o valor já aparece na própria imagem – basta o usuário clicar na fotografia. 

Essa ferramenta também redireciona o usuário diretamente para a compra do produto/serviço, sendo uma maneira muito mais prática e rápida de fechar negócio.

Uso das hashtags

As hashtags, também conhecidas como os famosos “jogos da velha”, são palavras acompanhadas do símbolo “#”, que se torna um link atrativo para outras publicações. 

Os perfis comerciais do Instagram podem usar as hashtags para ampliar a visibilidade da postagem e conseguir um número maior de seguidores, que se deparam com o conteúdo divulgado por meio da linkagem das hashtags.

A grande vantagem está no relacionamento entre as publicações. Por exemplo, um laboratório para análise clínica infantil pode fazer uso da hashtag “#medicopediatra” e, assim, encontrar usuários que estejam buscando por serviços médicos para crianças.

No entanto, vale lembrar que as hashtags não devem ser muito generalistas ou extremamente específicas, já que isso pode comprometer a visibilidade da publicação. 

Além disso, é preciso variar o uso de expressões, uma vez que o Instagram pode acusar o seu perfil de “spam”, caso perceba a utilização indiscriminada das hashtags.

Contas vinculadas

O Instagram permite vincular contas de outras redes sociais no próprio aplicativo. Assim, quando fizer uma postagem, é possível publicar o mesmo conteúdo diretamente no Facebook ou Twitter, por exemplo.

Para as empresas, a vantagem está no aumento de visibilidade no ambiente virtual, uma vez que os usuários podem seguir o perfil corporativo nas diferentes redes sociais. 

 

Com isso, tem-se um maior engajamento, o que afeta positivamente a conversão de usuários em leads (potenciais clientes).

Mesmo assim, é importante considerar as diferenças entre cada uma das redes sociais e voltar a produção de conteúdo específica. 

Então, apesar da praticidade de publicação em mais de uma rede, as instituições devem utilizar as ferramentas de marketing de acordo com cada uma das estratégias, já que elas possuem algumas diferenças e singularidades.

Anúncios patrocinados

A publicidade paga no Instagram também é uma maneira muito efetiva de aumentar o engajamento do perfil comercial. 

Por ser parte do Facebook, é possível investir em um anúncio em ambas as redes, estabelecendo um teto de gastos. 

Desse modo, a propaganda será veiculada tanto no Instagram quanto no Facebook, respeitando as particularidades de cada plataforma.

Os anúncios patrocinados têm um ótimo ROI (Retorno sobre Investimento), pois o preço é muito barato, em comparação com outras publicidades, como a tradicional (em jornais, revistas, televisão e rádio).

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Comentários no Facebook